…importante ouvir a lucidez de Luiz Filipe Pondé (I)…

…«[…]Luiz Felipe de Cerqueira e Silva Pondé (Recife1959) é um filósofo e escritor brasileiro, doutor em filosofia pela FFLCH da USPcom pós-doutorado na Universidade de Tel Aviv. Escreveu, entre outras obras, o Guia Politicamente Incorreto da Filosofia e Marketing existencial.[5] É colunista da Folha de S. Paulo, escrevendo semanalmente.

Nasceu em Recife, no estado de Pernambuco. Inicialmente cursou medicina na Faculdade de Medicina da Bahia da Universidade Federal da Bahia, mas não concluiu o curso. Mais tarde também cursou filosofia na Universidade de São Paulo tendo feito doutoradopela mesma instituição com suporte financeiro e mestrado pela Universidade de Paris. Realizou pós-doutorado da Universidade de Tel Aviv. Atualmente, é Vice-Diretor e Coordenador de Curso da Faculdade de Comunicação da FAAP; professor de Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e de Filosofia na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Escreve semanalmente no jornal Folha de S.Paulo.[6]     […]»….     in WIKIPEDIA

…mais uma demonstração da suprema hipocrisia que sustenta a actual esquerda…

Sargon of Akkad, mais uma vez de modo metódico, lógico e coerente, desmonta falácias e «narrativas» completamente falsas completamente construídas e sustentadas pela actual esquerda que se tornou social-fascista e se aliou com o globalismo e o islamo-fascismo. A ver com atenção apesar de ter já «alguma idade».

[Sargon of Akkad define-se politicamente como um adepto do Liberalismo Clássico – não confundir com o Liberalismo actual que do original liberalismo quase nada tem – e considerar-se assim, por consequência, como residente na área política do centro, ligeiramente centro-esquerda.
Aquilo que nele admiro é de como só com estes princípios do liberalismo clássico, e com uma argumentação baseada em dados e factos reais, consistentes, racionais e metódicos, rapidamente nos encontramos na dissidência pura-e-crua a esta poli-oligarquia pseudo-maniqueísta plutocrática hiper-mercantilista musculada profundamente corporativista no sentido mussoliniano do termo, que o comum dos mortais ainda confunde com «”capitalismo”» (onde está o laissez-faire com tanta intervenção massiva do Estado e consequente contínuo tsunami burocrático?) ]